Educação Não Formal e Diversidade

A Diversidade em Weimar

versão portuguesa e versão em inglês/ portuguese and english version

 

“Se quiserem aprender, refletir e conhecer novas realidades, culturas e pessoas deviam-se inscrever nestes projetos, pois aprendemos coisas que nem estamos à espera, sobre nós, sobre como os outros nos vêm e sobre o que nos rodeia.”

“If you want to learn, reflect and meet new realities, cultures and people, you should go to these projects because we learn things that we aren’t waiting to learn about ourselves, about how others see us and about what surround us.”

Foi me dada a oportunidade de representar a Dínamo em Weimar, na Alemanha, entre os dias 28 de outubro a 04 de novembro participando numa formação (training course[TC]) sobre a diversidade: Educação Não-Formal & Diversidade do Youth Work a nível Europeu (Non-formal Education & Diversity in European Youthwork), num projecto promovido pelo Centro Europeu de Educação e Encontro de Jovens em Weimar – EJBW.

Candidatei-me a este TC, pois achei o tema bastante interessante, bem como os assuntos específicos que seriam abordados, que também me iriam ajudar tanto a nível profissional como pessoal. 

Durante o TC foram abordados vários temas como: conhecer os diferentes termos dentro do tópico da diversidade, confrontação connosco próprios, trabalhar nas perceções, mudanças de perspetivas, preparação para a ida a Buchenwald (campo de concentração), ida a Buchenwald, explorar a minha influência no comportamento dos outros, construções e desconstruções, metodologias para lidar com a diversidade e diversidade a um nível pessoal.

Neste TC participaram 44 pessoas de 19 países diferentes; Portugal, Albânia, Bósnia Herzegovina, Bulgária, República Checa, Estónia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Itália, Kosovo, Lituânia, Macedónia, Polónia, Roménia, Sérvia, Eslovénia e Suécia.

Creio que conhecer pessoas com diferentes origens, opiniões e modos diferentes de pensar ajuda-me a ter uma opinião mais formada em relação ao assunto discutido, tal como a refletir sobre aquilo que penso que é o correto.

Em todo o TC, para mim, prevaleceu a troca de experiências (dentro e fora da sala da formação), o intra e o interconhecimento e as reflexões realizadas, tanto em grupo como individualmente. Tive alguma dificuldade em exprimir a minha opinião em certos assuntos, pois o grupo era grande e eu julgava que ainda não tinha uma opinião concreta nos tópicos que estavam a ser discutidos. Por outro lado, tentei exprimir mais a minha opinião quando trabalhava em pequenos grupos, pois foi a maneira que encontrei para expor o meu parecer, embora ache que ainda tenha de melhorar a minha intervenção em grande grupo.

Sendo esta a minha segunda experiência num projeto do Erasmus+, posso dizer que este TC foi muito mais diverso e fomentador, pelo facto de a diversidade ser maior, uma vez que eramos um grupo de 44 pessoas de diferentes idades e origens a frequentar o TC, o que para mim foi algo bastante positivo.

Se quiserem aprender, refletir e conhecer novas realidades, culturas e pessoas deviam-se inscrever nestes projetos, pois aprendemos coisas que nem estamos à espera, sobre nós, sobre como os outros nos vêm e sobre o que nos rodeia.

Com os conhecimentos que me foram passados neste TC pude fazer reflexão sobre mim própria, os meus comportamentos e atitudes em relação aos outros e em relação a mim. Posso dizer que nessa semana, aprendi bastante e penso que ainda continuo a aprender, pois é tanto para refletir e pensar que com o tempo é que começamos a pensar na influência que este TC teve nas nossas vidas.

Ana Catarina Carvalho

**

|ENG|

I have had the opportunity to participate and represent Dínamo in Weimar, Germany, between  October 28 to November 04 in the Training Course (TC) on diversity – Non-formal Education & Diversity in European Youth work, promoted by the European Youth Education and Meeting Centre in Weimar (EJBW).

I applied for this TC, because for me the topics are really interesting, as well as the specific issues worked on it, both can help me professionally and personally.

During the TC we addressed various aspects: the different terms within the topic of diversity, confrontation with ourselves, work on perceptions, the way we can change perspectives, preparation for the trip to Buchenwald (concentration camp), trip to Buchenwald, exploring my influence on the other’s behavior, constructions and deconstructions, methodologies for dealing with diversity and the diversity on a personal level.

This TC participated 44 people from 19 different countries: Portugal, Albania, Bosnia Herzegovina, Bulgaria, Czech Republic, Estonia, France, Germany, Greece, Hungary, Italy, Kosovo, Lithuania, Macedonia , Poland, Romania, Serbia, Slovenia and Sweden.

I believe that meeting people with different backgrounds, different opinions and ways of thinking can help me to have a more informed opinion on the themes discussed, but also to reflect on what I think that is correct.

In the TC, for me, the exchange of experiences prevailed (on the formal and informal moments), the self-knowledge, to get to know the others and the reflections made, both in group and individually. I had some difficulty on expressing my opinion on certain issues, because the group was big and I thought I still didn’t have a concrete opinion on the topics that were being discussed. On the other hand, i tried to express my opinion more working in small groups, because it was the way I found to share my thoughts, although i still have to improve my interventions to a larger group.

Being this my second experience in Erasmus + projects, and i would say that this TC has contributed to my personal development and it was much more diverse and richer (than my first experience), exactly because of this diversity – we were a group of 44 people with different ages, backgrounds, nationalities attending that for me it was something really positive.

If you want to learn, reflect and meet new realities, cultures and people, you should go to these projects because we learn things that we aren’t waiting to learn about ourselves, about how others see us and about what surround us.

With the knowledge that been past with this TC I was able to reflect about myself, my behaviors and attitudes towards others and myself. I can say that this week, I learned a lot and I still continue learning because it is to reflect and think over that, with the time, we start thinking about the influence of this TC in our lives.

                                                                                                           

Ana Catarina Carvalho